Já conheces o meu livro?

Newsletter

back to top

Crónicas

Sou fascinada por pessoas, pelas suas histórias e emoções. Intrigam-me os detalhes de que somos feitos e talvez por isso goste tanto de observar e refletir sobre o que me rodeia. Perco-me no prazer que as coisas mais simples me dão, como uma esplanada ao sol, um abraço demorado, uma conversa sem horas e uma janela cheia de luz. Faço malabarismos para virar do avesso emoções complexas e íntimas e falar delas com a maior simplicidade e lucidez que consigo. Escrevo crónicas sobre a vida, e o mundo, para encurtar a distância que existe entre todos nós — mas, sobretudo, para encurtar a distância entre mim e o mundo. Sou parte dele e ele é parte de mim. Somos todos parte uns dos outros.

Newsletter

Subscreve os meus emails para saberes quando um novo texto é publicado. Para eu saber de ti. Para trocarmos ideias. Para conversarmos mais informalmente.

 

Não permitas que o ciúme te destrua

Amar alguém pode ser genuinamente devastador. E esta ilustração é parte de uma história — “Amar-te tanto” — que escrevi há uns anos para o meu livro e que fala, precisamente, disto. A personagem — uma mulher completamente apaixonada — não conseguia evitar sentir ciúmes de tudo e de toda...

LER TEXTO >

Ouve, com calma, o teu coração

Um dia, percebes que algo mudou. Aquilo que sentes, que desejas para ti e para a tua vida é diferente daquilo que tens. Não é pior, nem melhor. É apenas diferente. Fazes contas ao tempo. Andas há demasiado tempo a sentir-te assim, a meio gás, e a adiar pensar nisso....

LER TEXTO >

Respira fundo: a vida sabe o que faz

Sábado. A noite cai devagar para lá das janelas do meu quarto. O sol já se pôs, escondendo-se por detrás do prédio da frente. Aqui dentro, apenas a luz de um candeeiro de mesa a incidir sobre o teclado. Deixo que essa fresta de luz me ilumine também os dedos,...

LER TEXTO >

A paixão arrebatadora da Alice

Conheci a Alice há uns anos — a Alice que, por razões óbvias, tem outro nome na vida real. Entre tantas mensagens, que habitualmente recebo de quem me lê por aqui, houve um dia em que recebi uma da Alice. Nunca tínhamos falado. Nem sequer era uma das leitoras que,...

LER TEXTO >

Quando perdemos alguém…

Quando perdemos alguém, contra a nossa vontade, dói-nos. A perda é algo com o qual nos é difícil lidar — pelo menos, a perda de alguém que amamos ou por quem estamos muito apaixonados. No instante em que a perda se dá, são demasiadas as emoções que nos dominam, atordoam...

LER TEXTO >

Ser feliz é uma atitude

Lembro-me de, em criança e já adolescente, me perguntarem o que queria ser quando fosse grande. Lembro-me de, a partir de certa altura, ter começado a responder: «Quero ser feliz.» Nisto não sou diferente de ninguém. Todos nós queremos ser felizes. É esse querer que motiva as nossas escolhas, os...

LER TEXTO >

O amor é lindo, mas só às vezes

O amor é lindo. Mas só às vezes. O amor faz-nos querer voar sobre as casas e desejar ter filhos ao fim de seis meses. O amor torna-nos mais felizes, mais sensíveis e mais despertos para o romantismo da vida. De repente, as músicas fazem tanto sentido. Faz-nos até encontrar...

LER TEXTO >

É urgente nunca desistirmos de nós!

É urgente sorrir. É urgente sorrir só porque sim. Só porque se está vivo. É urgente apreciar a vida e aprender a ver beleza nas coisas simples, mesmo nos dias mais complicados. É urgente abrir o nosso horizonte e apreciar o que nos rodeia, apesar de o termos sempre ali...

LER TEXTO >

Tu não estás só!

E se eu te disser que este texto é para ti? Acreditas em mim? Talvez sim. Talvez não. E perguntas-me tu: «Por que motivo escreverias um texto para mim, que nem sequer conheces, Laura?» Sim, é uma pergunta legítima. Por que motivo estaria eu aqui, a olhar para este écran...

LER TEXTO >